quinta-feira, 28 de novembro de 2013

«A Dívida Pública não é problema»

Existe muito pessoal que gosta de argumentar:
- «A Dívida Pública nunca foi um problema. Os Estados raramente pagam a própria Dívida, preferindo renovar as maturidades através da emissão de novos títulos. Um pouco como dizer: substituir os Títulos cujos prazos estão prestes a acabar com a emissão de novos Títulos. Quanto mais "longas" forem as maturidades das obrigações, com menos frequência o Estado deve ir ao mercado para novos empréstimos.».
.
.
Hihihihihi... ahahahahahahahah.
.
-> Sim, claro que a Dívida Pública não é um problema... até porque, pelo meio... o Estado vai vendendo empresas estratégicas para a soberania à alta-finança!?!?!?!
-> RESULTADO: o zé-da-esquina que possui um negócio familiar pode sofrer um aumento de impostos sobre os seus lucros [há uma dívida pública para pagar]... pelo contrário, os detentores de empresas estratégicas para a soberania fazem ameaças/chantagens sobre os governos caso estes ousem aumentar os impostos sobre os seus lucros... um exemplo: veja-se como o governo de Passos Coelho se curvou perante os donos da EDP.
.
.
MAIS: marionetas ao serviço da superclasse (alta finança - capital global) andam por aí com uma conversa… já há muito tempo esperada: «implosão das soberanias ou o caos».
.
[nota: : veja-se a conversa do secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas: "o que Portugal realmente precisa é de uma plena união bancária na Europa, que corrija a transmissão da política monetária na área do Euro e que alivie o peso da dívida"]
.
.
.
P.S.
Para o eng. José Sócrates a Dívida Pública também não era um problema...ano após ano foi fazendo novos empréstimos... teoricamente, cada novo empréstimo contraído pelo Estado permitia activar recursos (por exemplo, com a criação de obras públicas)... que iriam aumentar as receitas (mais gastos dos trabalhadores), portanto, teoricamente, seria possível eventualmente pagar o empréstimo extra sem ter que aumentar os impostos... RESULTADO FINAL: sem o dinheiro da 'troika' o Estado teria entrado em incumprimento!...
[uma nota: o  'grande mestre' anti-austeridade (vulgo: «política baseada no aumento da procura… essencial para fazer crescer a oferta…»), eng. José Sócrates, quase duplicou a dívida pública em seis anos!?!?!?!]

4 comentários:

Antonio Cristovao disse...

O que espanta as obs. de muita gente que só vê que agora há austeridade mas não quer ouvir discutir quem foi culpado em maior profundidade. Realmente sobre uma determinada situação é possivel dizer sim ou dizer nada .basta olhar mais para aqui ou ali. Comoquemolha para uma arvore e vê muita fruta e outro que olha para um ramo especifico diz que não tem fruta;e nãodeixa de ser a mesma arvore.

menvp disse...

«...muita gente que só vê que agora há austeridade mas não quer ouvir discutir quem foi culpado em maior profundidade...»

Pois é!

Alvaro disse...

Portugal sempre teve uma dívida pública baixa. Sócrates até começou por a baixar e ela só aumentou quando começou a crise.
Além de que o Governo português é dos mais poupados da Europa pois gasta só pouco mais de sete mil Euros por residente.
A Espanha, por exemplo, gasta uns treze mil, a Alemanha uns dezassete mil e a Dinamarca mais de vinte mil!

menvp disse...

Lobbys pró-endividamento é algo que há por aí aos montes: sindicatos, alta finança, etc.
{Uma nota: um erro numa folha de cálculo - num trabalho [leia-se: um estudo de Carmen Reinhart e Kenneth Rogoff] que defende a implementação de medidas de austeridade - foi considerado pela comunicação social (nota: é controlada pela superclasse: alta finança - capital global) como um erro gravíssimo de consequências bíblicas.
Uma errata publicada posteriormente, que corrigiu alguns valores... mas que, todavia, no entanto, manteve a conclusão final intacta... foi... ignorada pela pela comunicação social?!?!?}
.
-» O REGABOFE NA DESPESA/ENDIVIDAMENTO TEM DE ACABAR!... Leia-se: os políticos e os lobbys poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a 'coisa' terá que passar pelo 'crivo' do contribuinte: leia-se, quem paga (vulgo contribuinte) deve possuir o Direito de defender-se!!!
-> De facto, deve existir o DIREITO AO VETO de quem paga!!! [blog 'fim-da-cidadania-infantil'].